sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Nova polêmica atinge Padre Fábio de Melo

sexta-feira, 18 de agosto de 2017


A popularidade de alguns padres católicos cresceu bastante devido à sua participação nas redes sociais e aproximação do público fiel que os acompanha. É o caso do padre Fábio de Melo, querido pelos católicos e muito presente na internet.
Ser uma pessoa pública pode ter um lado negativo: as críticas. Muitos não concordam com a exposição dos sacerdotes na mídia e vão também para a internet dar suas opiniões.
Até bem pouco tempo, os padres e outros líderes religiosos da Igreja Católica preferiam consagrar as suas vidas espirituais na discrição e humildade dos seus votos para com a “Santa Igreja” de Roma. Por outro lado, esta visibilidade na mídia pode lhes dar maiores chances de trazer almas para Cristo, aumentando o alcance da evangelização, o principal objetivo.
A polêmica da vez foi criada em cima da participação do Padre Fábio de Melo no aniversário de 43 anos de sua amiga famosa, a cantora Preta Gil, filha do consagrado cantor baiano Gilberto Gil.
A festa também contou com outros famosos como Bruna Marquezine, Luciano Huck e a mulher Angélica, Pablo Vittar, Carolina Dieckmann, João Vicente de Castro, Anitta, Fiorella Matheis, David Brazil, entre outros.
As fotos de Fábio de Melo, registradas com ele se divertindo junto das estrelas, foram publicadas nas redes sociais e acabaram provocando uma série de críticas, bem como frases de elogio dos internautas em geral.
Houve comentários questionando a atitude do sacerdote e afirmando que ele deveria “largar a batina”, e outros que se posicionaram a favor do padre, pedindo para que evitassem falar mal do líder católico, por seu papel importante para a igreja.



Após muitas polêmicas, Dado Dolabella é preso no Rio de Janeiro


O ator Dado Dolabella, que ao longo de sua carreira artística já se envolveu em muitas polêmicas, acaba de se meter em mais uma. Ele foi preso no início da tarde desta quinta-feira (17) por policiais da 11ª DP (Rocinha), de acordo com informações do G1.
O motivo foi o não pagamento da pensão alimentícia de seu filho Eduardo Neves Dolabella, fruto de seu relacionamento com Fabiana Vasconcelos Neves. O valor foi acumulado em quase dois anos e agora, somou um total de R$ R$ 196.397,54.
Pela manhã, os agentes chegaram a procurar Dado em seu apartamento em Copacabana, na Zona Sul do Rio, mas ele não atendeu, e quando achou que os policiais tinham ido embora, saiu do apartamento e foi preso logo em seguida. Ele chegou por volta das 14h na delegacia.
“Na verdade isso é uma coisa que é um processo, que está em curso e já foi pedido um revisional. Esse valor que inclusive está sendo pedido no processo é de acordo com um contrato que eu recebia um salário por mês, que não existe mais, então, isso aí está sendo revisto”, disse ele ao G1.
“Meus filhos são sempre prioridade na minha vida”, completa.


quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Acho que o pior de todos sentimentos, é sentir-se descartável na vida de alguém

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Acho que o pior de todos sentimentos, é sentir-se descartável na vida de alguém, principalmente quando essa pessoa possui uma gigantesca importância na sua vida. Nunca sabemos ao certo nossa real importância na vida daqueles que nos rodeia, até que sejamos "dependentes" dessas pessoas.  

Ao percebermos que algo está errado, quando não temos mais aquela importância, se é que um dia tivera, dói de uma maneira exorbitante, inexplicável, uma dor física que age deixando o coração apertado, inseguro e frágil. Após aceitar a perda, fico ciente de que ainda ainda vou perder muitas pessoas até aprender que maior perda é a de tempo. "O talvez" é a pior de todas as prisões.  

Sabe por que? Porque "o talvez" anda de mãos dadas com sentir-se descartável. É um bom conselho, mas não muito prático."Quando alguém nos machuca, queremos machucá-los de volta. 

Quando alguém erra conosco, queremos estar certos. Sem perdão, antigos placares nunca empatam, velhas feridas nunca fecham, nunca cicatrizam. E o máximo que podemos esperar é que um dia tenhamos a sorte de esquecer."




Micaele Ângelo

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Sífilis está de volta com grande impacto, agora na versão Epidemia

quarta-feira, 16 de agosto de 2017
Apesar de ainda ser tabu para muitas pessoas, as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) estão presentes cada vez mais na sociedade moderna. Entre as DSTs que retornaram está a sífilis que, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, entre 2010 e 2015 houve um aumento de mais de 5.000%
A sífilis é uma doença originada na Idade Média causada pela bactéria Treponema Pallidum. Segundo o ginecologista e obstetra, Domingos Mantelli, a doença pode ser transmitida por diversas formas: sexualmente, de mãe para filho, por transfusão de sangue ou por contato direto com o sangue contaminado.

“Surge como uma pequena ferida nos órgãos sexuais e com ínguas nas virilhas. As feridas são indolores e não apresentam pus. Após um certo tempo, a ferida desaparece sem deixar cicatriz, dando à pessoa a falsa impressão de estar curada. Se não tratada precocemente, pode comprometer olhos, pele, ossos, coração, cérebro e sistema nervoso”, alerta o médico.
De acordo com Mantelli, existem 3 estágios da doença: na primeira fase, os sintomas ficam mais evidentes e há maior risco de transmissão; no segundo estágio, a bactéria fica latente no organismo e no terceiro, a doença volta mais agressiva, causando cegueira, paralisia, doenças cardíacas, transtornos mentais e pode levar à morte.
“A sífilis pode causar um comprometimento muito sério no sistema nervoso, na audição e nos olhos. É importante lembrar que não existe uma vacina. A única forma de prevenir a sífilis é através do sexo seguro com camisinha uma vez que a transmissão se dá por relação sexual vaginal, oral e anal sem o uso de preservativos, além de transfusão de sangue”, acrescenta Mantelli.


O ginecologista adverte para o cuidado com o aumento da sífilis gestacional da mãe infectada para o bebê durante a gestação ou parto. “É necessário que, no início da gravidez, a paciente procure um obstetra para realizar o pré-natal e fazer todos os exames possíveis para diagnosticar qualquer doença.
diagnóstico é realizado por exames clínicos e laboratoriais, durante o pré-natal até o nascimento do bebê”, sinaliza o médico.


E o médico conclui: “não se vê quem tem alguma doença sexualmente transmissível pelo rosto ou documento. Há casos em que o próprio portador não faz ideia que está contaminado. A doença fica incubada e é transmitida por relação sexual sem proteção”.





segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Rodrigo Faro chora ao recordar drama familiar:

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

O apresentador Rodrigo Faro caiu no choro ao relembrar da morte de seu pai, durante entrevista ao “Programa do Gugu”, da Record, que foi ao ar na noite da última quarta-feira (9).
“Meu pai foi vítima do alcoolismo, morreu cedo. Presenciei muitas cenas que ficaram na minha cabeça para sempre. Com 8, 9 anos, tive que proteger minha mãe de situações complicadas”, recordou.
Apesar do drama enfrentado ainda na infância, o comunicador garantiu que não guarda rancor.”Começar a trabalhar com 8 anos me fez amadurecer. Ele não era mais uma pessoa presente quando morreu. Tivemos momentos bons, mas a bebida destruiu ele. Eu quero ser um pai maravilhoso que meu pai não conseguiu ser”, completou ele, que é pai das meninas Clara, Maria e Helena, frutos de seu casamento com Vera Viel.


‘Não respondia por mim’, diz mulher que levou arma para hospital após violência no parto

Caso gera comoção nas redes e movimenta grupos que denunciam abusos obstétricos


SÃO PAULO — A história da dona de casa Paula de Oliveira Pereira, de 28 anos, tem mobilizado as redes sociais. Presa por ter carregado uma arma para o parto de seu quarto filho, por temer sofrer violência obstétrica, ela foi absolvida na última semana. Ao GLOBO, Paula disse nesta quinta-feira estar arrependida e que estava "fora de si" durante a gestação porque, na anterior, foi submetida a maus tratos por parte do hospital. Grávida novamente, afirma que não repetiria o gesto.
O caso ocorreu em agosto do ano passado. Depois do surto, Paula foi submetida a uma cesárea de emergência e acabou detida por porte ilegal de arma. Ela passou 21 dias no Centro de Detenção Provisória (CDP) Feminino de Franco da Rocha, na Grande São Paulo. Afastada do filho recém-nascido, que só pôde conhecer ao obter o direito de responder ao processo em liberdade, disse ter vivido "uma tragédia". A juíza Alena Cotrim Bizarro, da 2ª Vara de Itapecerica da Serra, absolveu Paula por entender que ela não tinha a intenção de ferir alguém.
— Eu estava no meio de um surto, então se estivesse em condições normais jamais faria uma coisa dessas. Mas eu estava tão abalada que não respondia por mim. Eu não faria isso de novo nunca, jamais — contou ao GLOBO.

Moradora de Embu das Artes, na região metropolitana de São Paulo, Paula vive em uma casa de apenas um cômodo com os quatro filhos e o marido desempregado. Em 2015, em trabalho de parto do terceiro filho, disse ter ficado sozinha no ambulatório de um hospital da rede pública sentindo dores e sem acompanhamento de médicos e enfermeiros. Ela contou ter caído da maca com a barriga voltada para o chão. Ninguém verificou se ela ou o bebê passavam bem depois da queda. Durante o parto, uma enfermeira teria se debruçado sobre sua barriga para pressionar a saída do bebê - procedimento conhecido como manobra de Kristeller e desaconselhado pelo Ministério da Saúde. A criança nasceu de parto normal e sem sequelas. A mãe, por sua vez, ficou muito abalada e ficou semanas sem conseguir levantar da cama.


Ao descobrir a quarta gravidez, Paula temeu reviver a angústia da experiência anterior. Pediu aos médicos que realizassem uma cesárea, mas disse que seus pedidos foram negados quando chegou ao hospital, em outra unidade da rede pública. No desespero, decidiu levar uma arma: ela diz que o intuito não era ameaçar os profissionais, mas sim aplacar o próprio sofrimento.
— Eu tinha, na minha mente, a ideia de tirar a minha vida, porque assim eu acabaria com o sofrimento mais rápido. Em nenhum momento pensei em tirar a vida de ninguém.
A arma foi descoberta pela avó da criança, que recebeu uma mensagem da gestante relatando o desejo de se matar caso não conseguisse realizar a cesárea. A polícia foi acionada e a dona de casa foi presa por porte de arma ilegal três dias após dar à luz. Na decisão que a inocentou, a juíza afirmou que Paula se encontrava em estado de "desordem emocional" e que a ação não colocou em risco a segurança pública. O caso, que foi arquivado na última segunda-feira, foi revelado pelo jornal "O Estado de S.Paulo".
Apenas depois de passar pela experiência de ser presa e ter tido contato com autoridades, Paula foi informada de que, na verdade, foi vítima de violência obstétrica em seu terceiro parto. Mesmo ciente de que poderia denunciar o caso ao Ministério Público, não manifestou o desejo de processar o hospital que a atendeu.



— Acho que não vale a pena entrar com o processo, porque é muito desgastante. Vai ter audiência e demanda muito tempo. Já passei por tantas coisas, não quero mais um trauma.
Disposta a ajudar outras mães que passaram pela mesma situação, Paula procura seguir com a vida. Grávida do quinto filho, ela espera que a gestação seja mais tranquila do que a anterior. Até o momento, diz estar mais segura e confiante de que será melhor amparada.
— Estou mais tranquila, porque tenho recebido a ajuda de um médico especializado em parto humanitário. Já conversamos algumas vezes por telefone e tenho uma consulta marcada para a próxima semana. Senti muita segurança nele, porque agora sei que não enfrentarei mais descaso — conclui.










domingo, 13 de agosto de 2017

Ex-atriz da Globo revela ter feito macumba para virar protagonista de novela e afirma: “descartei seis almas e vou pagar por isso”

domingo, 13 de agosto de 2017

A ex-atriz da Rede Globo Simone Carvalho, que fez muito sucesso nos anos 80, resolveu abrir o jogo e fez diversas revelações para o programa “TV Fama”, da RedeTV.
Estreou na televisão na primeira versão de “Cabocla”, em 1979. Após a estreia não parou mais, emendou um trabalho no outro. Em “Tieta”, de 89, viveu a personagem Bebê e se destacou.
Simone iniciou a entrevista revelando o verdadeiro motivo de ter deixado a televisão. “Eu sou muito radical. Fui uma atriz muito radical e radicalmente eu me converti. Me tornei bacharel em Teologia”, contou.
A ex-atriz também descartou qualquer possibilidade de retornar para à TV e afirma que recusará qualquer convite que aparecer. “A Globo pode me ligar agora, que eu vou dizer não”, afirmou ela que prefere as novelas da Record.
Simone também revelou ter feito macumba para virar protagonista de novelas. “No momento que sempre acontece, quando se dá um tempo… você não é mais chamada para nada e vai buscar uma ajuda. Eu fui.”.
Por fim, ela, que fez par romântico com José Mayer em “Tieta”, revelou ter feito seis abortos e ter se arrependido disso. “Eu vou pagar um preço muito alto por isso. Eu descartei seis almas e vou pagar por isso”, disse ela.